20 julho 2007

história de amor: últimos capítulos (jean-luc lagarce)


indícios e assim

na primeira cadeira da última fila, fechava os olhos e escutava as palavras vindas do palco.

o primeiro homem (eu:eu); o segundo homem (ele:eu também); a mulher (ela:tu).

história de amor: últimos capítulos, fala-nos de um triângulo. o primeiro homem narra uma história, a sua história, a história deles. narrador e actor, co-existem nele e há uma luta entre a história narrada e a história realmente vivida (foi assim; não, não foi assim; foi, foi!; não, não foi!; ok, foi mais ou menos assim..). as personagens (ele-o-primeiro-homem; o-outro-o-segundo-homem; ela-a-mulher) estão no palco e representam / encenam a narração (o que ele-o-primeiro-homem viu do que realmente se passou) da sua própria vida (na cidade velha, junto ao rio, antes da guerra, que idade é que nós tínhamos?).
- quando doer menos.

ela-a-mulher, a partir do palco, fixa os olhos no espectador sózinho que está sentado na primeira cadeira da última fila. ele sente. o olhar, que normalmente trespassa o espectador (técnica de representação, fixando o infinito), desta vez concretiza-se, cai sobre ele. (vocês estão aí, nós não..).

sim, eu estou aqui.
na cidade velha, junto ao rio, antes da guerra.
que idade é que eu tenho..?
que dia é hoje..?

2 Comments:

Blogger Mateso said...

É o dia de ontem, na idade vivida, do passado lavado, no presente olhado.
Bj.

sexta-feira, julho 20, 2007 3:15:00 da tarde  
Blogger Gi said...

são todos os dias. e cada dia. e nenhum dia.
olá, mateso.
vivida, vívida, viva. ao menos isso.
flores,

gi.

domingo, julho 22, 2007 1:05:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home